Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

04
jan
2017

Che Guevara esteve em Curitiba, clandestinamente, durante a ditadura militar.

O fato aconteceu em meados de 1965, pouco antes de Ernesto Che Guevara seguir para a Bolívia, onde seria assassinado por agentes da CIA no dia 8 de outubro de 1967. O guerrilheiro argentino passou por Curitiba vestido de padre e carregava uma bíblia. Nas margens do livro havia anotações sobre a vida de Jesus Cristo feitas pelo próprio líder da Revolução Cubana, cujo interesse no novo testamento estava muito além do disfarce.

A bíblia do Che ainda está em Curitiba e os colecionadores pagam uma fortuna para quem encontrá-la. Este é o aparente enredo do novo romance de Miguel Sanches Neto, um dos mais profícuos escritores do Brasil.

Quando digo aparente é porque o livro de Miguel nos conduz a outros enredos, a outras reflexões, a outros mundos. Através de uma narrativa de suspense (e mistério) somos levados a pensar sobre as fronteiras entre ficção e realidade, sobre o individualismo contemporâneo, sobre as utopias (ou a ausência delas) e até sobre a produção de resenhas literárias, como esta que estou redigindo.

Leia mais: Boa Informação