Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

25
out
2016

Espionagem: Já grampearam até o presidente. A vez de João Figueiredo.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Não é a primeira vez que escutas telefônicas envolvendo grandes nomes da República acontecem no Brasil, como agora no episódio das Polícias Federal versus Polícia Legislativa.

Impensável, mas aconteceu. Mesmo com o rigor, atenção, segurança e a vigilância do regime militar, o presidente João Figueiredo teve um aparelho de escuta colocado clandestinamente em seu gabinete de trabalho. Logo ele que sabia tudo sobre o assunto, já que antes de sentar-se na cadeira presidencial, fora chefe da Casa Militar da Presidência da República na época de Garrastazú Médici e do Serviço Nacional de Informações, órgão de inteligência do governo Ernesto Geisel. O SNI era o terror para muita gente. Aquele que fosse alvo do temido SNI não tinha estava sossego.

Leia mais: Os Divergentes