Histórias da Ditadura

Hoje na Imprensa

07
out
2016

Ulysses Guimarães: Sincronia entre o falar e o agir (Celso Lafer).

Agir no espaço público tem tanto o componente de começar, guiar, quanto o de pôr em movimento e, como ensina Hannah Arendt, nenhuma outra atividade humana precisa tanto da palavra quanto a ação política. Dr. Ulysses sabia conjugar palavra e ação. Por isso foi capaz de mobilizar o agir conjunto gerador do poder de guiar e de pôr em movimento mudanças e transformações que tiveram um impacto decisivo na vida do país.

A política é “o ofício do perigo, do desafio, do surpreendente, da escalada e da queda”, na formulação do Dr. Ulysses. Quem assume o agir e o falar assume o risco de enfrentar essas situações. Precisa possuir a virtude forte da coragem, a capacidade, como apontava Cícero, de afrontar os perigos e enfrentar os trabalhos. Ele foi um homem de coragem, como revelou exemplarmente na condução da resistência civil ao regime militar. A coragem, lembrava, é “primeira virtude do estadista. Sem ela, todas as demais desaparecem na hora do perigo”.

Leia mais: Jornal O Globo