Histórias da Ditadura

Referências

Diretor

Murilo Salles

Título

Nunca fomos tão felizes.

Formato

Longa metragem

Palavras-chave

Drama, 1h30min, 1984

Sinopse

O longa Nunca Fomos Tão Felizes conta a história da relação de um pai com seu filho, um homem desconhecido e misterioso. Em ritmo de thriller, é considerado pela crítica um marco do moderno cinema brasileiro. Um rapaz é retirado de um colégio interno por seu pai e é acomodado em um grande apartamento na Avenida Atlântica, no Rio de Janeiro, temporariamente. Ele pouco sabe sobre a vida do pai – militante político perseguido pela polícia do regime militar -, pois estão afastados há oito anos. Um esteve em um colégio interno e, o outro, na prisão. A mãe já faleceu. O reencontro e a viagem de retorno à casa dão a entender o quanto será difícil para os dois a vida em comum. Um apartamento quase vazio, o aparelho de televisão e uma guitarra. Isso é tudo o que o jovem dispõe. Acuado pela situação tensa que enfrenta, o rapaz não pode entender aquele convívio frustrante e começa a investigar o mistério que o cerca. Ele acaba se deparando com a necessidade de descobrir a própria identidade. O filme foi vencedor do Prêmio da Crítica, Melhor roteiro e Melhor fotografia no XII Festival de Gramado; e de Melhor Filme (Júri Oficial e Popular), Melhor roteiro e Melhor montagem, no XVII Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

Classificação
[Total: 0    Média: 0/5]

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *