Histórias da Ditadura

Referências

Autor

Daniel Cantinelli Sevillano

Título

Pro dia nascer feliz? Utopia, distopia e juventude no rock brasileiro da década de 1980

Formato

Tese

Palavras-chave

Universidade de São Paulo, 2016

Sinopse

Através da utilização de letras de músicas produzidas entre os anos de 1981 e 1989, busquei analisar o papel que o rock brasileiro teve como elemento de manifestação da juventude que havia crescido sob a ditadura de 1964. Utilizei os conceitos de utopia e distopia para compreender de que maneira essas letras, ao mesmo tempo, serviram como representação da compreensão desses jovens de seu momento histórico e como instrumento de crítica da realidade econômica e social ao seu redor. Mais do que reflexo cultural de seu período, tais letras manifestavam a contradição ideológica da época, na qual a utopia em torno de uma sociedade melhor era negada pela própria distopia presente nas relações econômicas e sociais cotidianas. Esta mesma contradição foi observada na relação entre arte e mercado, criticada por muitas bandas, mas necessária para que suas músicas alcançassem seus ouvintes. É importante ressaltar que o movimento punk brasileiro teve papel fundamental para as bandas do rock brasileiro da década de 1980, pois ele mostrou que era possível produzir músicas para e pela juventude que vivia a transição da ditadura para a democracia.

Link para o trabalho completo.

Classificação
[Total: 0    Média: 0/5]

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *